Rua: Sátyro Coelho, S/nº - CEHAP 1 / Alagoa Grande - Paraíba - Tel. (83) 9|9819 - 1909; 9|9149 - 3893 e 9|8215 - 1919 (whatsapp)

terça-feira, 15 de agosto de 2017

CELEBRAÇÃO NA IGREJA


TEXTO
: EXODO 3:16-22. DATA: 15.08.2017
INTRODUÇÃO
Na leitura do texto-base: Êxodo 3.16-22, podemos perceber que Deus tinha um plano completo a ser executado: Ele via tudo o que estava acontecendo com os israelitas no Egito; Declara que quer libertar o povo da escravidão; Ordena a Moisés confrontar o faraó e antecipa que haverá resistência; Declara que os hebreus não sairiam de mãos vazias;  Libertaria o povo porque tinha um propósito para eles. Qual seria esse propósito? O Senhor deixou muito claro que um dos propósitos que ele tinha era que o povo celebrasse uma festa a Ele no deserto (cf. Êxodo 5.1). O que aconteceu assim que a libertação e a restituição se concretizaram? O povo foi celebrar uma festa a Deus no deserto. VEJAMOS como foi:

1. A CELEBRAÇÃO NO DESERTO (ÊXODO 15.1-21)
Eles entoaram um cântico para celebrar o triunfo do Senhor, descrevendo a maravilhosa vitória. Oferecer cânticos ao Senhor é algo tremendamente espiritual. Eles ficaram conhecendo o Deus que se manifestava como YHWH, o SENHOR. Até então, eles conheciam o El-Shadai, o Deus todo-poderoso. Mas agora eles conheceriam a Iavé, o Deus verdadeiro, que habita no meio do seu povo, guiando e manifestando graça (cf. Êxodo 6.3). Eles pronunciaram 13 vezes o nome SENHOR no cântico. Só quem conhece o Deus verdadeiro vai celebrá-lo; Eles reconheceram que o Senhor fez tudo, que não tinham forças nem condições de fazê-lo;  Eles louvaram e exaltaram a Deus, mencionando sua santidade, seus feitos e sua unicidade. É o que a igreja deve fazer.

2. A CELEBRAÇÃO ESTÁ NO CENTRO DO CAMINHO DE JESUS
Jesus entrou no mundo com um toque de intenso júbilo: “Mas o anjo lhes disse: “Não tenham medo. Estou lhes trazendo boas novas de grande alegria, que são para todo o povo” (Lucas 2.10). Jesus saiu deste mundo deixando uma herança para os discípulos: “Tenho lhes dito estas palavras para que a minha alegria esteja em vocês e a alegria de vocês seja completa” (João 15.11). Jesus caracterizou seu ministério como um ano de Jubileu, que era um tempo de celebração e alegria. No ano do jubileu as dívidas eram canceladas, os escravos eram libertos, as propriedades eram devolvidas aos primeiros donos. Havia gritos de júbilo e as trombetas tocavam, quando se anunciava a ano do jubileu (Salmos 89.15-17). Havia celebração em toda a nação. Jesus veio para proclamar o ano da bondade do Senhor e o dia da vingança do nosso Deus. Haveria alegria em toda a nação. Glória a Deus!

3. A CELEBRAÇÃO ESTÁ RELACIONADA À ALEGRIA
Comer com alegria: “Diariamente perseveravam unânimes no templo, partiam pão de casa em casa e tomavam as suas refeições com alegria e singeleza de coração (Atos 2.46);

Dar com alegria: “Cada um contribua segundo tiver proposto no coração, não com tristeza ou por necessidade; porque Deus ama a quem dá com alegria” (LER 2 Coríntios 9.7). Antes de convertidos, muitos mantinham o bar, a prostituição, restaurantes, a farmácia, a jogatina e etc. Hoje, muitos desses convertidos estão se negando a manter a casa do Senhor com seus dízimos e suas ofertas.

Passar por tribulações com alegria: “Meus irmãos, tende por motivo de toda alegria o passardes por várias provações” (Tiago 1.2). Quando passares por tribulação dê um sorrido para o tempo, pois Deus está prestes a mudar essa situação!

Ter comunhão com Deus com alegria: “Estas coisas, pois, vos escrevemos para que a nossa alegria seja completa” (1João 1.4). Escute a palavra com alegria, participe do GF com alegria, vá à igreja com alegria, e sirva a Deus com alegria.

Andar alegre pelos testemunhos: “Fiquei sobremodo alegre em ter encontrado dentre os teus filhos os que andam na verdade, de acordo com o mandamento que recebemos da parte do Pai” - 2 João 4. Seja testemunha de Jesus na sua vida.

Dar fruto de alegria: “Mas o fruto do Espírito é: amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade” (Gálatas 5.22). Deixe o Senhor mudar sua história. Ele tem como mudar sua vida e te dá muitas alegrias.

CONCLUSÃO
O que Deus quer de nós hoje? O Deus do evangelho é um Deus alegre e a sua alegria faz parte de sua salvação. Assim, ele deseja hoje: Que tiremos água das fontes da salvação com alegria. O Deus da alegria é quem fomenta a nossa festa de celebração. Ele quer que seus filhos usufruam tudo aquilo que Jesus conquistou para nós. Por isto o profeta declara: “Vós, com alegria, tirareis água das fontes da salvação” (Isaías 12.3). Fonte: Igreja Batista - BH


segunda-feira, 14 de agosto de 2017

UM TEMPO DE SALVAÇÃO


TEXTO: LUCAS 2:11. DATA: 08.08.2017

INTRODUÇÃO Pare um instante e deixe a célula discutir as seguintes perguntas: 1. Para você, o que significa “salvação”? 2. Mais precisamente, Jesus veio para nos salvar de que? Não há dúvidas de que vivemos em um país de gente muito religiosa. No Brasil, cerca de 3% se dizem ateus, ou seja, 97% afirma crer em Deus. De fato, pesquisas tem confirmado que 90% de nossa sociedade afirma que reza ou ora a Deus regularmente. Isto significa que as pessoas reconhecem sua necessidade de ajuda por parte de alguém maior que elas mesmas, alguém que as ajude em seus problemas, que as resgate de um buraco em que caíram e que, em última instância, as salve de algo que não podem resolver sozinhas. 

VEREMOS AS TRÊS DIMENSÕES DA SALVAÇÃO.

Na Bíblia, a salvação é tridimensional. Nós somos salvos de algo, somos salvos para algo e somos salvos por alguém.

1. Jesus veio para nos salvar dos nossos pecadosPecado é uma atitude, é a transgressão voluntária da lei e da vontade de Deus. É um problema de orgulho: sempre que pecamos estamos dizendo “eu quero ser meu próprio chefe, faço o que quero e eu não preciso de Deus!”. O apóstolo Paulo escreveu: “pois todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus” (Romanos 3.23) Outra versão diz: “Todos pecaram e estão afastados da presença gloriosa de Deus”. Ou seja, o problema do pecado é que ele nos separa de Deus. O profeta Isaías confirma esta desgraça dizendo: “Vejam! O braço do Senhor não está tão encolhido que não possa salvar, e o seu ouvido tão surdo que não possa ouvir. Mas as suas maldades separaram vocês do seu Deus; os seus pecados esconderam de vocês o rosto dele, e por isso ele não os ouvirá.” (Isaías 59.1-2).


Jesus veio ao mundo para nos libertar dos nossos pecados. Mas não apenas nos salvar dos nossos pecados. Ele também veio para nos salvar de nós mesmos. Veja este outro texto bíblico: “Miserável homem que eu sou! Quem me libertará do corpo sujeito a esta morte? Graças a Deus por Jesus Cristo, nosso Senhor! Graças a Jesus nós podemos ser salvos do pecado que habita em nós e nos domina. A resposta para os nossos problemas não é um novo lugar pra viver, um novo programa pra curtir ou um novo remédio pra tomar. Não é nos lançarmos em um novo relacionamento. A resposta para o nosso problema do pecado e para a nossa vida sempre insatisfeita é Jesus Cristo. Nós precisamos de um Salvador.


2. Jesus veio para nos salvar para um propósito
A Bíblia afirma: “Deus nos salvou e nos chamou com uma santa vocação, não em virtude das nossas obras, mas por causa da sua própria determinação e graça” (2 Timóteo 1.9). Deus tem um plano e um propósito para a nossa vida. Como o nosso Criador, Ele sabe o que é o melhor para nós. Então, Ele não somente nos salva do pecado, mas também nos salva para um propósito, um plano que Ele deseja que nós alcancemos. Nós nunca seremos completamente satisfeitos e realizados na vida até que descubramos qual é o propósito de Deus para nós e como colocá-lo em prática. Cada um de nós pode viver sua vida em um dos seguintes níveis: No nível da sobrevivência, no nível do sucesso ou no nível da significância. Nós fomos criados para viver no nível da significância, que conseguimos quando conhecemos a Deus. Nele descobrimos o nosso propósito na vida e como junto com Ele conseguimos viver na prática desta vida de significado e propósito. Ou seja, nós fomos feitos por Deus e para Deus, e até que entendamos isto, a vida nunca fará sentido.


3. Jesus veio para nos salvar por Sua graça
Relembrando: Nós somos salvos do pecado, somos salvos para um propósito, e somos salvos por Jesus Cristo, mediante sua graça. O que é graça? Graça é quando Deus nos dá o que nós necessitamos e não o que nós merecemos. Graça é quando Deus nos diz: “Eu vou pegar os seus problemas e fazê-los meus problemas”. O apóstolo Paulo declara: “Pois vocês são salvos pela graça, por meio da fé, e isto não vem de vocês, é dom de Deus; não por obras, para que ninguém se glorie” (Efésios 2.8-9). Este é o texto chave deste estudo: A salvação é um dom de Deus, ou seja, é um presente.

CONCLUSÃO
Deus nos deu a vida de Seu único filho, a fim de nos salvar sem que merecêssemos isto. Em um presente dele. Precisamos recebê-lo, desembrulhá-lo e aplicá-lo em nossa vida. Esta é a Boa Nova (Evangelho): Jesus Cristo veio para nos salvar. Ele veio para nos salvar das nossas feridas, maus hábitos, vícios, e de tudo o que nos domina, que é o pecado; veio para nos salvar para um propósito, porque ele tem um plano maravilhoso para a nossa vida, e veio para nos salvar pela sua graça, ou seja, de graça e sem que tenhamos feito nada para merecer a nossa salvação. A pergunta é:
Você já entregou sua vida completamente a Jesus, recebendo-o como seu Salvador? Quer tomar essa decisão nesta noite?

O MAIOR PROBLEMA DE TODOS NÓS


TEXTO
: Gênesis 2:16,17; 3:1-8. DATA: 01.08.2017

INTRODUÇÃO
A causa principal dos problemas da humanidade, do seu e meu problema, é que tentamos ser o deus de nossa própria vida. Fazemos isto o tempo todo: Quando quero decidir o que é certo ou o que é errado em minha vida, quando não quero ninguém, inclusive Deus, dizendo-me o que eu posso ou não posso fazer, quando quero estabelecer minhas próprias regras e faço o que quero, quero ser meu próprio chefe, quero viver à minha maneira.

1. ERRO DO SER HUMANO
Tentamos ser Deus quando queremos estar no controle de nossa vida, da vida dos outros e queremos controlar o mundo. E há uma palavra que expressa bem este desejo: Eu quero ser Deus! Este é o mais antigo problema do ser humano. SATANÁS E O CASAL - Veja a história de Adão e Eva em Gênesis 2:16,17; 3:1-8.

2. SATANÁS E O CASAL
Quando Deus os colocou no jardim do Éden, disse-lhes: “Vocês podem fazer tudo o que quiserem neste paraíso que eu preparei para vocês, exceto uma coisa: não comam do fruto de certa árvore”. Vamos pensar sobre isto: Deus não limitou 10 ou 20% do jardim; Ele disse que apenas uma árvore era proibida. Eles poderiam fazer tudo o que quisessem, exceto uma única coisa. Mas o que foi que eles fizeram? Fizeram exatamente o que não poderiam fazer. A única coisa no paraíso que Deus ordenou que não fizessem. Satanás ajudou e disse a eles: “se vocês comerem deste fruto, vocês serão como Deus, vocês serão deuses”. E este tem sido o grande problema desde então para toda a humanidade. Lá no fundo, cada um de nós quer ser o próprio Deus de seu destino e sua vida, quer ser independente e estar no controle. Queremos pensar que estamos no controle, que somos os mestres do nosso destino.

3. CONSEQÜÊNCIAS DE TENTAR SER DEUS DA PRÓPRIA VIDA
Há quatro consequências inevitáveis quando não admitimos nossas necessidades e falhas e tentamos ser os “todo-poderosos” guias e solucionadores de nossa própria vida:

1) Medo. Temos medo que alguém descubra quem nós realmente somos e nos rejeite. Por isso, nos escondemos e não deixamos que ninguém se aproxime o bastante de nós, que conheça nossa intimidade;

2) Frustração. Resultado do fato óbvio de que não podemos controlar tudo o tempo todo. É impossível. Podemos controlar algumas coisas, mas não temos o poder ou a sabedoria para vencer todas as lutas da vida. A maior parte da nossa vida não esta sob nosso controle, e isto é frustrante. O Apostolo Paulo entendeu isto e disse: LER Rm 7.15-17. Leia também o que escreveu Davi em Salmo 32:3.

3) Fadiga. A vida fica muito cansativa e alguns caem em exaustão e estresse de tanto tentar controlar tudo. Tentar ser Deus consome enorme quantidade de energia e torna-se exaustivo. Por isso as pessoas estão sempre tão cansadas e esgotadas. Davi também disse na sua confissão: “Pois dia e noite a tua mão pesava sobre mim; minhas forças foram se esgotando como em tempo de seca. Então reconheci (admiti) diante de ti o meu pecado e não encobri as minhas culpas.” (Salmo 32.4-5).

4) Fracasso. Quando tentamos ser Deus, uma coisa é certa: Nós vamos falhar. Provérbios 28.13 diz: “Quem encobre os seus pecados não prospera, mas quem os confessa e os abandona, encontra misericórdia”. Precisamos ser abertos e honestos sobre nossos medos, falhas, fracassos, frustrações e fraquezas. Não há uma só pessoa aqui nesta reunião que não tenha falhas em diferentes áreas da vida e todos nós precisamos de ajuda. Estamos no mesmo barco. Às vezes alguém diz assim: “É, mas meu problema não é tão grave”. Isto é apenas mais uma tentativa de negar os fatos.


4. A SOLUÇÃO - O primeiro passo que precisamos dar para experimentar restauração em nossa vida é fazermos uma escolha: a escolha da realidade, onde entendemos e aceitamos o fato de que não somos Deus. Jesus disse: “Felizes são os pobres de espírito, porque herdarão o reino dos céus”. Ele está dizendo que precisamos reconhecer que precisamos da ajuda de alguém muito maior que a gente para superar nossos problemas e mudar nossa vida e nosso jeito de ser. Fazer esta escolha e admitir o que somos gera poder para transformar nossa vida.  (fonte: Estudo da Igreja Batista de BH).

sexta-feira, 28 de julho de 2017

MAIS UM ANO DE VIDA!

A jovem Thayná, ao lado de sua avô paterno, diaconisa Josefa Lima, durante um dos grupos familiares da CEPEA
O dia amanheceu com tons diferentes para Thainá Emilin. Tons de alegria e de esperança.

Alegria de viver, de andar, locomover-se quando há muitos que tentam e não conseguem.

Esperança de novos ares, de uma vida marcada pela paz, pelo amor e por inúmeras conquistas.

A idade comemorada é apenas um detalhe a cada ano de sua vida. Entre um e outro, sua determinação a faz cada vez mais briosa em seus anseios. Luta e não desiste de seus sonhos. Assim, vai vivendo na expectativa de, a cada momento, poder brilhar mais e mais naquilo que faz e acrescentar ainda mais sua alegria, escancarar seu sorriso e dizer: Obrigado, Senhor!

O Senhor que a tem como sendo uma exímia liderança, embora os percalços sejam indesejáveis e cruéis na sua caminhada, como de qualquer outra pessoa, às vezes pelos cedas aos recomendes.

Que o brilho da paz, da alegria, da felicidade, do amor, da presença e do Espírito Santos sejam uma constante em sua vida.

Na Bíblia está escrita: "Bem-aventurado o homem (jovem), que ão anda nos conselhos dos ímpios (...) mas coloca a sua confiança no Senhor e não se volta aos arrogantes (nem escarnecedores) nem aos que seguem a mentira. Mas espera com paciência pelo Senhor diante do qual se inclina para ti ouvir e ao mesmo tempo ser ouvida. Descansa no Senhor e espera nele, pois Ele fará tua justiça sobressair como a luz, e teu direito, como o meio-dia" (partes dos salmos 1:1; 40:4 e 1; 37:7a e v. 6).

Mensagens em nome de todos os membros da CEPEAPB a jovem Thainá Emilin neste dia tão significante na sua vida.


Parabéns!

terça-feira, 25 de julho de 2017

IGREJA: SERVA DAS SAGRADAS ESCRITURAS


TEXTO: SALMOS 119:41-50. DATA: 25.07.2017

introdução

Diariamente, surgem novas igrejas em todo o mundo. Todavia, a maior parte delas não se submete aos preceitos das Sagradas Escrituras. A igreja que modifica, deturpa ou não valoriza a Bíblia, não pode ser considerada autêntica Noiva do Cordeiro. A verdadeira Igreja de Cristo é serva da Palavra.

VAMOS ANALISAR DOIS PONTOS IMPORTANTES:

I. A IGREJA E A SUBMISSÃO À PALAVRA
 A Igreja tanto é visível como invisível. Enquanto a visível é local, e se caracteriza como organização, a invisível é universal e orgânica. Vejamos:

1. No sentido espiritual. Espiritualmente, a Igreja é um organismo que tem Cristo como a Cabeça, (Cl 1.18) e os crentes como o Corpo (Ef 1.22,23). Esta Igreja é composta de todos os que possuem seus nomes "inscritos nos céus" (Hb 12:22-23). Isto é, de todos os salvos em Cristo Jesus. Todas as igrejas locais pertencem à Igreja universal (de todo o mundo). Todavia, nem todos os que fazem parte de uma igreja local (que tem um nome na placa) são de fato membros da igreja universal (Ler: 1 Jo 2.19).
Aqui se refere aos que saem da igreja. É difícil afirmar, mas o compromisso de Deus é para com os que estão na igreja. Quem estiver fora dela, vai ficar!

2. No sentido organizacional. A igreja, como organização, é formada por crentes em Jesus que se reúnem numa determinada congregação a fim de adorar e servir a Deus. Ali, tanto há "trigo" quanto "joio", ou seja, há crentes fiéis e infiéis (Mt 13.24-30). Como numa organização qualquer, a igreja local necessita de uma liderança humana; assim como de atividades administrativas, estatutos e normas. Entretanto, tal estrutura jamais poderá suplantar ou sobrepor-se aos preceitos da Palavra de Deus.

Embora a igreja local seja uma organização juridicamente estabelecida, não deixa de ser também um organismo espiritual que, sob a direção de um ministro de Deus, deve servir ao Senhor e obedecer a sua Santa Palavra. Desta forma, a Igreja tanto é visível como invisível. Enquanto a visível é local, e se caracteriza como organização, a invisível é universal e orgânica.

II. A IGREJA E A FIDELIDADE À PALAVRA
1. O respeito à integridade da Palavra. Alguns teólogos modernistas dizem que a Bíblia precisa ser revisada, e que alguns de seus textos não fazem mais sentido para os dias pós-modernos. Trata-se de uma desvelada ação diabólica contra a Palavra de Deus. Algumas igrejas, infelizmente, têm sucumbido aos apelos desses "reformistas", deturpando a sã doutrina (1 Tm 1.10; 2 Tm 4.3), falsificando a Palavra (2 Co 4.2), e seguindo os ensinos de Balaão. Para piorar ainda mais, essas igrejas, à semelhança de Tiatira, acabam tolerando a imoralidade (Ap 2.14,15,20-22). Porém, a autêntica Noiva de Cristo mantém-se fiel às Escrituras (Jo 14:15,21 e 23; Tt 1.9), pois, é "a igreja do Deus vivo, a coluna e firmeza da verdade" (1 Tm 3.15). A mensagem bíblica não precisa ser revista, e sim, obedecida com submissão e santidade. Você tem agido assim?

2. A igreja deve pregar a verdade. A Igreja deve manifestar toda a verdade da Palavra de Deus: "Pelo que, tendo este ministério, segundo a misericórdia que nos foi feita, não desfalecemos; antes, rejeitamos as coisas que, por vergonha, se ocultam, não andando com astúcia nem falsificando a palavra de. Deus; e assim nos recomendamos à consciência de todo homem, na presença de Deus, pela manifestação da verdade" (2 Co 4.1,2). Os obreiros, principalmente os pastores, têm grande responsabilidade diante de Deus e de sua amada igreja.

O púlpito jamais deve ser utilizado como palanque político, mas, sim, como Tribuna da Verdade do evangelho. Todo líder deve conduzir seu rebanho em completa obediência à Palavra da Verdade. Nesse aspecto, como tem agido o pastor de sua igreja? Ele é confiável para o cargo? Você o obedece?

CONCLUSÃO - A Igreja universal é um organismo vivo e espiritual. A local, por sua vez, é uma organização centrada na autoridade da Palavra de Deus. Como parte do Corpo de Cristo, a igreja visível deve cumprir sua missão evangelizadora e proclamadora do evangelho, sem, contudo, deixar de amar e obedecer plenamente às Sagradas Escrituras.

Embora os teólogos modernistas afirmem que a Bíblia precisa ser revista em sua mensagem, a igreja deve continuar pregando a verdade tal qual se apresenta no Livro Santo.

(COLSON, C.; PEARCEY, N. E agora, como viveremos. RJ: CPAD, 2000, p.367-69. Revisão e adaptação para a CEPEA: Pr. Gomes Silva)